CENTENÁRIO DE EDUARDO TEIXEIRA COELHO -2

Aqui está o anúncio de mais uma exposição para celebrar o centenário de E.T. Coelho, desta vez na Biblioteca Nacional de Portugal, complemento daquela que vigora no CPBD.

Advertisements

INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO EM HONRA DOS 90 ANOS DE JOSÉ GARCÊS

Como é do conhecimento dos nossos leitores, realizou-se no passado sábado, dia 8 de Setembro, pelas 16h00, a sessão de abertura da mostra “Parabéns GARCÊS”, que estará patente na Bedeteca da Amadora até 11 de Novembro p.f.

Constituída unicamente por originais de várias épocas, doados por Garcês ao acervo da Bedeteca — desde a sua primeira HQ publicada n’O Mosquito, em 1946, “O Inferno Verde”, às narrativas de cunho histórico e animalista em que se especializou durante a sua longa carreira, como “Vagô, o Tigre”, “Eurico, o Presbítero”, “Bartolomeu Dias” ou “A História de Portugal em BD”, um grande êxito editorial, sem esquecer trabalhos de outra espécie, como as suas monumentais construções de armar —, a exposição atraiu um público numeroso e foi apresentada pelo Vereador da Cultura da Câmara Municipal da Amadora, José Agostinho Marques, e por Pedro Mota, Presidente do Clube Português de Banda Desenhada, entidade que, em parceria com a Bedeteca, organizou esta excelente mostra.

Da esquerda para a direita: Geraldes Lino, José Ruy, José Garcês, José Agostinho Marques, Pedro Mota, Ricardo Garcês, Manuela Garcês e Maria Fernanda Pinto.

Por gentileza de Dâmaso Afonso, habitual colaborador dos nossos blogues —  e que preside à Mesa da Assembleia Geral do CPBD —, registamos, para memória futura, uma reportagem fotográfica deste evento em que José Garcês, actualmente o decano da BD portuguesa, teve mais uma calorosa e merecida homenagem, com a presença dos seus familiares e de colegas, admiradores e amigos. Ao Dâmaso os nossos agradecimentos. E para o Mestre José Garcês os nossos sinceros e afectuosos parabéns.

EXPOSIÇÃO DE HOMENAGEM A JOSÉ GARCÊS NA BEDETECA DA AMADORA

Decano da BD portuguesa, JOSÉ GARCÊS será alvo, no próximo sábado, dia 8 de Setembro, às 16h00, de merecida homenagem pelos seus 90 anos de idade e mais de 70 de carreira, numa louvável iniciativa da Bedeteca da Amadora e do Clube Português de Banda Desenhada. Parabéns, MESTRE GARCÊS!

EXPOSIÇÃO NA BIBLIOTECA NACIONAL: 100 ANOS DE FASCÍCULOS DE AVENTURAS EM PORTUGAL

NOS TEMPOS HERÓICOS DA “LITERATURA DE CORDEL”

Uma grande exposição na Biblioteca Nacional, a não perder, organizada em parceria com o Clube Português de Banda Desenhada, sobre o universo dos fascículos de aventuras que fizeram as delícias de várias gerações, na primeira metade do século XX, com fabulosos heróis que se gravaram na memória dos mais jovens e capas cheias de colorido e emoção, pelo traço dinâmico de Alfredo Morais (1872-1971), um dos mais populares artistas da sua época.

Esses fascículos de aventuras influenciaram também um escol de novelistas portugueses, que surgiram n’O Mosquito, n’O Senhor Doutor, no Tic-Tac, n’O Faísca, n’O Pluto e no Mundo de Aventuras, como Reinaldo Ferreira (o célebre Repórter X), António Feio, Raul Correia, Orlando Marques, José Padinha, Lúcio Cardador, Roberto Ferreira e Roussado Pinto.

Os leitores dessa época não dispensavam as aventuras de Texas Jack, do Capitão Morgan, de Raffles, de Nick Carter… E houve até um colaborador d’O Mosquito, Orlando Marques, que na sua juventude usou o cognome de Texas Jack, tal era o entusiasmo que este herói das pradarias lhe despertava e aos seus colegas do Liceu do Funchal.

DUAS NOVAS EXPOSIÇÕES NO CPBD

Estas duas exposições, oriundas do Salão Moura BD, serão inauguradas no próximo sábado, dia 2 de Junho, a partir das 15h30. Se a primeira tem como tema central uma das maiores figuras dos primórdios da nossa História, ou seja, Viriato, o heróico pastor dos Montes Hermínios, a segunda, referente aos “Viajantes de Papel na Lusofonia Gráfica”, aborda a obra de grandes autores que, por razões diversas, tiveram de emigrar, procurando trabalho noutros países, como Eduardo Teixeira Coelho, Vítor Péon, Jayme Cortez e Carlos Roque… alguns deles nascidos nas ilhas adjacentes ou nas antigas colónias ultramarinas portuguesas.

Saliente-se que O Mosquito ficou também ligado, simbolicamente, a essa emigração, pois foi das suas fileiras que saíram alguns dos grandes nomes da BD portuguesa que optaram pela diáspora, em busca de novos rumos para as suas carreiras.

NOVA PALESTRA NO CPBD SOBRE “A LEI DA SELVA” DE EDUARDO TEIXEIRA COELHO

No próximo sábado, dia 6 de Maio, na sede do Clube Português de Banda Desenhada, realiza-se mais uma palestra do ciclo “A Lei da Selva de Eduardo Teixeira Coelho”, que será igualmente apresentada por Mestre José Ruy, autor do powerpoint que ilustrará essa sessão, com numerosos exemplos da arte magistral de E.T. Coelho.

Aproveitamos a oportunidade para mostrar seguidamente algumas imagens da sessão anterior, realizada em 22 de Abril p.p., que embora pouco concorrida mereceu o interesse e o aplauso de todos os presentes, premiando o mérito da obra e a feliz ideia de José Ruy de homenagear um dos mais célebres trabalhos de E.T. Coelho para O Mosquito, recentemente reeditado, pela primeira vez, em álbum.

As fotos são de Dâmaso Afonso, activo membro do CPBD, a quem saudamos com amizade, agradecendo novamente a prestimosa colaboração que tem oferecido a todos os blogues da nossa Loja de Papel.