CANTINHO DE UM POETA – 37

Este poema de Raul Correia é mais um perfeito exemplo dos apólogos morais do “Avozinho” tão apreciados pelos leitores d’O Mosquito — numa época em que as revistas infanto-juvenis procuravam não só divertir como instruir —, ensinando-lhes, entre muitas coisas, que quem trata os outros com desdém, julgando-os apenas pelas aparências, faz o papel de ignorante e essa ignorância pode, às vezes, ser-lhe fatal, como no caso das roseiras vaidosas. E é claro que todos os “netinhos” do venerável “Avozinho” aprendiam com gosto a lição!

A página supra, ilustrada como habitualmente por José Baptista (Jobat), foi dada à estampa no Jornal do Cuto nº 32, de 9/2/1972.   

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s