CANTINHO DE UM POETA – 11

Cantinho de um poeta 11

Eis mais um soneto de Raul Correia, ilustrado por José Baptista (Jobat), que reproduzimos do Jornal do Cuto nº 1, de 7 de Julho de1971.

Inspirados, talvez, no célebre poema de Rudyard Kipling — que todos, do vulgar cidadão aos que ocupam os cargos mais importantes, deviam guardar na memória — estes versos de Raul Correia são tão actuais hoje como na época em que foram escritos, com o mundo dilacerado pela guerra, lembrando-nos que os homens ainda não souberam escolher entre os conflitos e a concórdia, a união e a desunião, o ódio e a fraternidade, a intolerância e o respeito pelo próximo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s